como um verso



Ainda sinto teu gosto de pêssego, tua manhã nascendo, tuas ondas quebrando em minhas areias. Ainda sobrevoas o meu sono e habitas as minhas palavras e os meus silêncios, como um verso que quer, de qualquer jeito, ser escrito!


Aíla Sampaio

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ORAÇÃO

Calmaria

um poema inconcluso